tratamentos 2.jpg

TRATAMENTOS

TRATAMENTO CONSERVADOR DA DOENÇA RENAL CRÔNICA

Apesar da doença renal crônica ser progressiva e irreversível até o momento, com o tratamento conservador podemos reduzir a velocidade desta progressão ou estabilizar a doença. Também é possível reduzir os sintomas, prevenir complicações associadas como infarto do coração e isquemia cerebral, e evitar o início de terapia renal substitutiva (hemodiálise ou dialise peritoneal). Também existe a possibilidade de iniciar essa terapia de uma maneira programada e não de emergência.

 

Oferecemos acompanhamento individualizado no tratamento da doença renal crônica e suas causas, com foco na importância do uso correto de medicamentos, modificações na alimentação e no estilo de vida, para evitar ou retardar sua progressão à terapia renal substitutiva.

 

Dependendo da causa que levou o paciente a padecer essa doença, a NefroQuality foca nos seguintes pontos:

 

  • Controle adequado da pressão arterial: medida fundamental para retardar a progressão da doença renal crônica e que foca na restrição de sal (sódio), atividade física e uso correto dos remédios para a pressão.

 

  • Controle adequado da glicemia: fundamental para os pacientes com diabetes,sendo necessário manter uma hemoglobina glicada (HbA1c) menor que 7%, com modificação de hábitos nutricionais, atividade física, uso de medicações para o diabetes e também um controle apropriado da pressão.

  • Tratamento da dislipidemia: ideal para baixar os níveis de colesterol, além de ser bom para o rim, também beneficia o sistema circulatório e diminui o risco de complicações como infarto do coração e isquemia cerebral.

  • Uso de remédios que diminuam a perda de proteínas pelos rins (proteinúria): sempre que o rim perde proteínas de uma maneira patológica, significa que tem alguma lesão e essa perda acelera a deterioração de função dos mesmos, por isto é necessário o uso destas medicações quando possível.

  • Interrupção do tabagismo: parar de fumar traz benefícios não só para os rins, mas também para o sistema cardiocirculatório. Existem medicações que auxiliam na cessação.

  • Tratamento da anemia: anemia se desenvolve quando o rim começa a parar de funcionar, e dependendo da gravidade, pode dar sintomas como desânimo, falta de apetite, fraqueza nas pernas, sonolência e falta de ar quando caminha, dentre outros. Atualmente existem remédios para o tratamento da anemia para os pacientes com doença renal crônica.

  • Tratamento dos distúrbios ósseos e minerais associados à doença renal crônica: pode ocorrer uma queda dos níveis de cálcio e vitamina D e um aumento do fósforo e do hormônio produzido pelas glândulas paratireoides (PTH) e para cada uma dessas alterações existe tratamento.

 

  • Tratamento dos sintomas: no caso de inchaço, por exemplo, podem ser usados a restrição de sal e remédios que aumentam a produção de urina (diuréticos), dentre outros. 

  • Tratamento da acidez no sangue: a acidez se desenvolve no sangue dado que na doença renal crônica os rins não conseguem colocar para fora o excesso de ácido que se forma em nosso organismo, trazendo consigo aumento no nível de potássio do sangue e acelerando a perda da função do rim. O uso do bicarbonato de sódio e outras medidas pode auxiliar no controle desta situação.

  • Tratamento do aumento do potássio no sangue: o potássio é um sal que está presente no nosso organismo e que é eliminado em sua maior parte pelo rim, por isto tende a se incrementar nos pacientes com doença renal crônica e como consequência disto pode ocorrer fraqueza muscular intensa, arritmias e até parada cardíaca. O tratamento deste tipo de problema se consegue com uma dieta apropriada, o início de algumas medicações e a retirada de outras.

  • Dieta adequada: não existe uma dieta única para todos os pacientes, por isto, avaliamos cada caso e elaboramos um cardápio com o auxílio de uma nutricionista. Mas em geral, a restrição alimentar aumenta na medida em que a doença progride e não é possível manter os níveis de potássio, fósforo e acidez do sangue dentro do desejado com as medidas terapêuticas.

  • Preparo do paciente para diálise ou transplante: dependerá da velocidade com que a doença progredir, essa fase do tratamento inicia-se quando o rim apresenta em torno de 20% da sua função. Será necessário o encaminhamento para um cirurgião vascular que irá confeccionar a fístula para a hemodiálise; um cirurgião geral para implante de cateter de dialise peritoneal; ou para uma equipe de transplante renal, dependendo do caso.

3-nefroquality-jose-lascano-contreas.jpg

TERAPIA RENAL SUBSTITUTIVA

A terapia renal substitutiva é responsável por suprir artificialmente a função dos rins em pacientes que apresentam falência da função renal aguda grave, ou na doença renal crônica sintomática e refratária ao tratamento conservador (ver acima), ou com uma DCE (depuração da creatinina endógena) inferior a 15ml/min conforme algumas diretrizes.

 

As modalidades incluem a hemodiálise e a dialise peritoneal e seu objetivo principal é a retirada de líquidos e toxinas do corpo, além de corrigir a acidez, o sódio e o potássio do sangue, o excesso de água e reduzir sintomas como: inapetência, inchaço e falta de ar.

 

Oferecemos as seguintes modalidades de Terapia Renal Substitutiva:

  • Hemodiálise e ultrafiltração convencionais ou de curta duração: até quatro horas. Saiba mais

  • Hemodiálise prolongada: método híbrido, realizado em ambiente hospitalar, com fluxo de sangue e de banho menores do que os usados nos métodos convencionais e com sessões de 6 a 12 horas de duração.

  • Dialise peritoneal e suas modalidades: CAPD (Diálise Peritoneal Ambulatorial Contínua) e APD (Diálise Peritoneal Automatizada).

hemodiálise.jpg

NEFROLOGIA INTERVENCIONISTA

Realizamos os seguintes procedimentos da Nefrologia Intervencionista: 

  • Implante de cateteres de curta e longa permanência sob guia ultrassonográfica;

  • Avaliação e punção sob guia ultrassonográfica das fístulas arteriovenosas de difícil punção;

  • Avaliação ultrassonográfica da congestão pulmonar (água no pulmão) para adequação do peso seco e identificação de outras patologias como derrame pleural e pericárdico.

 

A NefroQuality ministra cursos para médicos e enfermeiros sobre estes procedimentos.

 NEFROLOGIA INTERVENCIONISTA.jpg

ASSISTA

​Implante de cateter sob guia ultrassonográfica

Punção de fístula sob guia ultrassonográfica